Metodologia


O processo usado para pesquisar e criar o NMC 2014 – Panorama Tecnológico para as Universidades Brasileiras é baseado nos métodos usados pelo Horizon Project. Todas as edições do NMC Horizon Report e NMC Technology Outlook são produzidos usando um cuidadoso processo de construção que é informado tanto pela pesquisa primária quanto pela secundária. Dezenas de tecnologias, tendências expressivas e desafios críticos são examinados para possíveis inclusões no relatório para cada edição. Cada relatório se baseia na experiência considerável de um Comitê de Especialistas de renome internacional – que, primeiro, considera um amplo conjunto de importantes tecnologias emergentes, desafios e tendências e, em seguida, examina cada um deles sempre com mais detalhes, reduzindo o conjunto até uma lista final com as tecnologias, tendências e desafios selecionados.


Grande parte do processo ocorre online, onde é capturado e colocado em uma wiki do Horizon Project, na qual todo o trabalho do projeto fica armazenado. A wiki do Horizon Project pretende ser uma janela completamente transparente para todo o trabalho do projeto, contendo todo o registro da pesquisa para todas as várias edições.
O procedimento para selecionar os tópicos que estarão no relatório inclui um processo Delphi modificado e, agora, aperfeiçoado ao longo de anos de produção do Horizon Report, começando com a montagem do Comitê de Especialistas. O conselho como um todo é designado a representar uma ampla gama de origens, nacionalidades e interesses, ainda assim, cada membro traz uma experiência particularmente relevante. Até o momento, centenas de profissionais e especialistas reconhecidos internacionalmente participaram do Comitê de Especialistas do Horizon Project; em um determinado ano, um terço dos membros do painel são renovados, garantindo um fluxo de novas perspectivas a cada ano.
Uma vez que o Comitê de Especialistas para uma edição especial é constituído, seu trabalho começa com uma revisão sistemática da literatura – recortes de imprensa, reportagens, ensaios e outros materiais – que se refere à tecnologia emergente. Os membros do comitê de especialistas são fornecidos com um extenso conjunto de materiais quando o projeto começa e, em seguida, são convidados a comentá-los, identificar aqueles que parecem especialmente de valor e adicionar ao conjunto. O grupo discute as aplicações existentes de tecnologia emergente e procura vislumbrar aplicações novas. Um critério fundamental para a inclusão de um tópico é a sua potencial relevância para o ensino, aprendizagem pesquisa ou investigação criativa. Um conjunto cuidadosamente selecionado de feeds RSS de dezenas de publicações relevantes assegura que os recursos fiquem atualizados no decorrer do projeto. Eles são usados ​​para informar o pensamento dos participantes durante todo o processo.
Seguindo a revisão da literatura, o Comitê de Especialistas envolve-se no foco central da pesquisa – os itens de pesquisa que estão no núcleo do Horizon Project. Estas questões foram desenvolvidas para extrair do Comitê uma grande lista de tecnologias, desafios e tendências interessantes:

1. Quais destas principais tecnologias serão as mais importantes para o ensino, aprendizagem ou investigação criativa nas universidades brasileiras nos próximos cinco anos?
2. Quais tecnologias importantes estão faltando em nossa lista? Considere estas questões relacionadas:
  • O que você deve listar entre as tecnologias estabelecidas que instituições educacionais usam hoje e que TODAS as instituições devem usar amplamente para apoiar ou aperfeiçoar o ensino, aprendizado ou investigação criativa?
  • Quais tecnologias –que têm uma sólida base de usuários em consumo, entretenimento ou outras indústrias –as universidades brasileiras devem buscar ativamente formas de aplicar?
  • Quais são as principais tecnologias emergentes que você percebe estarem sendo desenvolvidas ao ponto de universidades brasileiras começarem a considerar nos próximos cinco anos?
3. Quais tendências você acha que terão impacto significativo no modo que as universidades brasileiras abordam as missões básicas do ensino, aprendizagem e investigação criativa?
4. Quais os principais desafios relacionados ao ensino, aprendizagem ou investigação criativa, em sua opinião, que as universidades brasileiras enfrentarão nos próximos cinco anos?

Uma das tarefas mais importantes do Comitê de Especialistas é responder a estas questões o mais abrangente e sistematicamente possível, a fim de garantir que o maior intervalo de tópicos seja considerado. Uma vez que este trabalho esteja pronto, um processo que acontece rapidamente em poucos dias, o Comitê muda para um processo de construção única de consenso baseado no iterativo método Delphi.
No primeiro passo desta abordagem, as respostas aos itens de pesquisa são sistematicamente categorizadas e colocadas em horizontes de adoção para cada membro do Comitê usando um sistema de multivotação, o qual permite aos membros medir suas seleções.
Pede-se que cada membro identifique também o intervalo de tempo no qual a tecnologia vai começar a ser amplamente usada – definido pelo propósito do projeto como uma média de 20% de instituições adotando a tecnologia no período discutido. (Esta figura é baseada na pesquisa de Geoffrey A. Moore e refere-se à massa crítica de adoções necessárias para uma tecnologia ter a chance de entrar em amplo uso.) Estes rankings são compilados em uma coleta de respostas e, inevitavelmente, as que possuem mais consenso ficam mais rapidamente aparentes.

Da longa lista de tecnologias originalmente consideradas para o NMC Technology Outlook, as 12 que emergem — quatro por horizonte de adoção — são pesquisadas e expandidas e consequentemente escritas no relatório NMC 2014 – Panorama Tecnológico para as Universidades Brasileiras.