Item de Pesquisa 3: Tendências Principais

Quais tendências você acha que terão impactos significantes nos modos com que as universidades brasileiras abordam as missões básicas do ensino, aprendizagem e investigações criativas?

INSTRUÇÕES: Escreva suas respostas na questão abaixo. Isto é mais facilmente feito ao mover o cursor para o fim da último item e pressionando RETURN para criar um novo item de lista. Por favor inclua URLs sempre que puder (URLs completas serão automaticamente convertidas em hyperlinks; por favor digite-as integralmente ao invés de usar a ferramenta de link na barra de ferramentas).

NOTA: As principais tendências são classificadas em três categorias: impacto de curto prazo , o impacto a médio prazo , e de impacto de longo prazo.

Short-Term Impact Trends
Estas são as tendências que estão impulsionando a adoção EDTECH agora, mas provavelmente continuará a ser importante para só próximos um a dois anos. Mundos Virtuais foi um exemplo de uma tendência de rápido que varreu -se a atenção em 2007-8.

Mid-Term Impact Trends
Estas tendências vão ser importantes para um longo prazo de tomada de decisão , e provavelmente continuará a ser um factor de para os próximos três a cinco anos de tomada de decisão.

Long-Term Impact Trends
Estas são tendências que vão continuar a ter impacto em nossas decisões por um tempo muito longo . Muitos deles foram importantes durante anos, e continuará a ser assim. Estas são as tendências - como a mídia móvel ou social - que continuam a desenvolver no ano de capacidade ao longo do ano.

Por favor, "assine" cada uma de suas contribuições ao marcá-las com o código de 4 tils (~) em uma linha a fim de que possamos acompanhá-lo, caso nós precisemos de informações adicionais ou de exemplos
- isto produz uma assinatura quando a página é atualizada, tal como: - Sam Sam Apr 27, 2015


Componha seus textos assim:
Nome da Tendência.Adicione suas ideias aqui com algumas sentenças de descrição incluindo URLs para referências (e.g. http://horizon.nmc.org). E não se esqueça de assinar a sua contribuição com 4 caracteres til ~ (til).


Abordagens de Aprendizagem Colaborativa
A aprendizagem colaborativa, que se refere a alunos ou professores trabalhando juntos em atividades peer-to-peer ou em grupo, se baseia na noção de que a aprendizagem é um constructo social.A abordagem normalmente envolve atividades centradas em quatro princípios:colocar o aluno no centro, enfatizar a interação e a prática, trabalhar em grupos e desenvolver soluções para problemas do mundo real.Modelos de aprendizagem colaborativa estão se revelando de grande eficácia para melhorar o engajamento e o desempenho dos alunos, especialmente no caso de alunos destituídos.Os educadores também se beneficiam dos grupos de pares ao participar atividades de desenvolvimento profissional e oportunidades interdisciplinares de ensino.

Aumento no Uso de Projetos de Aprendizagem Híbrida
Ao longo dos últimos anos, a percepção de aprendizagem on-line foi mudando à medida em que alunos e educadores passaram a vê-la como uma alternativa viável para algumas formas de aprendizagem presencial. Relacionando as melhores práticas de métodos online e presencial, a aprendizagem híbrida está em ascensão nas escolas. As ofertas de cursos com aprendizagem híbrida estão agora bem compreendidas. Sua flexibilidade, facilidade de acesso, bem como a integração de multimídia e tecnologias sofisticadas são atributos. Desenvolvimentos recentes de modelos de negócio para as universidades estão aumentando as apostas de inovação nestes ambientes digitais, que são agora amplamente considerados maduros para novas ideias, serviços e produtos. Crescendo de forma constante, o foco recente na rápida ascensão e queda de cursos on-line massivos abertos (MOOCs) levou à conclusão de que esses tipos de ofertas podem ser modismos. No entanto, o progresso na análise da aprendizagem, aprendizagem adaptativa e uma combinação de ferramentas continuarão avançando o estado de aprendizagem on-line e mantendo-a atraente; embora muitos destes métodos ainda sejam os sujeitos das experiências e pesquisas por parte dos escolas e provedores de aprendizagem online.

Foco crescente em mensuração da aprendizagem
Há um interesse crescente na utilização de novas ferramentas para personalizar a aprendizagem, a avaliação contínua e a mensuração de desempenho do aluno. Este interesse está estimulando o desenvolvimento de um campo relativamente novo – aprendizagem e avaliação orientadas a dados. Um elemento-chave desta tendência é a análise da aprendizagem (learning analytics), a aplicação de web analytics, uma ciência usada pelas empresas para analisar as atividades comerciais por meio de big data para identificar tendências de gastos e prever o comportamento do consumidor. A educação está seguindo um caminho semelhante com o objetivo de traçar o perfil dos alunos, um processo de coleta e análise de dados sobre as interações individuais dos alunos em atividades de aprendizagem on-line. O objetivo é construir melhores pedagogias, capacitar os alunos a ter um papel ativo na sua aprendizagem, perceber dificuldades dos estudantes e avaliar os fatores que afetam a realização e sucesso do aluno. Para alunos, educadores e pesquisadores, a análise da aprendizagem já está começando a fornecer informações cruciais para o progresso dos alunos e interação com textos online, material didático e ambientes de aprendizagem utilizados para instruir alunos. A aprendizagem e avaliação orientada por dados irão construir sobre os esforços iniciais.

Incentivando Culturas de Mudança e Inovação
Muitos pensadores acreditam que as escolas podem desempenhar um papel importante no crescimento econômico das nações. A fim de produzir inovação e se adaptar às necessidades econômicas, as escolas devem ser estruturadas de forma que permitam a flexibilidade e estimulem a criatividade e o pensamento empreendedor. Há um consenso crescente entre os pensadores de que a liderança nas escolas e no currículo escolar poderiam se beneficiados de modelos de startups ágeis. Educadores estão trabalhando para desenvolver novas abordagens e programas baseados nesses modelos que estimulam a mudança de cima para baixo e que podem ser implementados em vários ambientes institucionais. No mundo dos negócios, o movimento Lean Startup usa a tecnologia como um catalisador para promover uma cultura de inovação de uma maneira mais efetiva e modelos atraentes para dirigentes escolares considerarem.

O aumento da colaboração entre as instituições
A ação coletiva entre as escolas e distritos está cada vez mais importante para o futuro do ensino superior. Cada vez mais, as instituições estão se juntando em consórcios – associações de duas ou mais organizações – para juntar recursos ou se alinhar estrategicamente com a inovação na educação básica. Hoje o ambiente global está permitindo que as universidades se unam através de fronteiras internacionais e trabalhem juntos objetivos comuns de tecnologia, pesquisa e valores compartilhados. O suporte da tecnologia nas salas de aula reforçou a tendência de comunidades abertas e consórcios de universidades, na medida que educadores e administradores reconhecem a ação coletiva como um método sustentável de apoiar atualizações em infraestrutura tecnológica e serviços de TI.

Priorização da Experiência do Usuário
A experiência do usuário se refere à qualidade das interações de uma pessoa com os serviços e produtos de uma empresa.O termo costuma ser usado para avaliar interações baseadas em computador com dispositivos móveis, sistemas operacionais e sites na Internet.Uma experiência superior do usuário é atribuída em grande parte ao sucesso das empresas.Facilidade de navegação, conteúdo de fácil entendimento e funcionalidades práticas, entre outros fatores, são incluídos nos melhores e mais eficazes designs de sites e bancos de dados.No entanto, a interface em sié apenas uma dimensão da experiência de usuário.Empresas como a Amazon e o Google se dedicam a identificar padrões de comportamento dos usuários na Internet para personalizar melhor os resultados de buscas no nível individual. O feedback direto dos usuários na forma de avaliações em sites incluindo o Netflix e o TripAdvisor ajudam as empresas a personalizar seu conteúdo e ajustar o design da interface do usuário.O resultado é uma experiência mais eficiente e pessoal para os usuários.Para instituições voltadas a proporcionar incontáveis ambientes on-line e e-publicações, a experiência do usuário é uma área relativamente nova.Hoje em dia, após a Era da Informação, o foco no gerenciamento de dados tem sido tão intenso que só recentemente os educadores voltaram sua atenção à criação de uma experiência de alta qualidade visando a ajudar pesquisadores e alunos a navegar por enormes volumes de dados.

Proliferação de Recursos Educacionais Abertos
Definido pela Fundação Hewlett, em 2002, recursos educacionais abertos (REA) são "recursos de ensino, aprendizagem e pesquisa que residem no domínio público ou que tenham sido publicados sob uma licença de propriedade intelectual que permita a sua utilização". Os REA receberam grande atenção quando o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) fundou a iniciativa MIT OpenCourseWare (OCW), em 2001, disponibilizando materiais de mais de 2.200 dos seus cursos disponíveis on-line, de forma gratuita. Logo após, universidades de prestígio, incluindo Carnegie Mellon University e Universidade de Harvard, entre outras, lançaram suas próprias iniciativas de aprendizagem aberta. Entender que o termo "aberto" é um conceito multifacetado é essencial para seguir esta tendência no ensino superior; muitas vezes confundido por simplesmente ser "gratuito", defensores de recursos educacionais abertos têm trabalhado em uma visão comum que os definem de forma mais ampla – e não apenas livre em termos econômicos, mas também em termos de direitos de propriedade e de uso.

Recriação de Espaços de Aprendizagem
Alguns líderes acreditam que novas formas de ensino e aprendizagem requerem novos espaços de ensino e aprendizagem. Universidades estão ajudando a facilitar esses modelos emergentes da educação, como a sala de aula invertida, reorganizando os ambientes de aprendizagem para acomodar uma aprendizagem mais ativa. Cenários de educação são cada vez mais concebidos para facilitar as interações baseadas em projetos com atenção à mobilidade, flexibilidade e uso de vários dispositivos. A Internet banda larga está sendo utilizada em instituições para criar "salas inteligentes" que suportam conferências via web e outros métodos de comunicação remota. Grandes telas estão sendo instaladas para permitir a colaboração em projetos digitais e apresentações informais. O ensino superior se afasta da aula tradicional baseada em palestra e se aproxima de uma dinâmica mais prática. Salas de aula universitárias vão começar a assemelhar-se a ambientes de trabalho e sociais do mundo real que facilitam as interações orgânicas e resolução de problemas interdisciplinares.

Repensando como as escolas funcionam
Há um movimento focado em reinventar a tradicional sala de aula e reorganizar toda a experiência escolar - uma tendência que está sendo impulsionada por influência de abordagens de aprendizagem inovadoras. Métodos como aprendizagem baseada em projetos e desafios exigem estruturas escolares que permitam aos estudantes transitar de uma atividade para outra, eliminando as limitações do calendário tradicional. Além disso, essas novas mudanças incentivam a renovação dos layouts das salas de aula focando em facilitar a interação em grupo. Antigas práticas em que os alunos aprendem assunto por assunto enquanto se encontram, uniformemente, voltados para a frente da sala de aula são percebidos por muitos como uma abordagem antiquada de ensino e aprendizagem. A natureza multidisciplinar da aprendizagem baseada em projetos e outras abordagens contemporâneas chamou a atenção para designs inovadores do ambiente escolar que unem a sala de aula ao assunto estudado. À medida em que a aprendizagem torna-se mais fluida e centrada no aluno, alguns professores e administradores acreditam que os horários de aula devem ser mais flexíveis para permitir que as oportunidades de aprendizagem sejam mais autênticas e tenham espaço para estudar independentemente.

Surgimento de Novas Formas de Estudos Interdisciplinares
De acordo com o Melbourne Sustainable Society Institute, a pesquisa multidisciplinar refere-se à exploração e às atividades em campos aparentemente diferentes. Pesquisas em humanidades digitais e computacionais sociais estão abrindo áreas pioneiras de pesquisa multidisciplinar em bibliotecas e formas inovadoras de bolsas de estudo e publicação. Pesquisadores, juntamente com técnicos acadêmicos e desenvolvedores, estão rompendo barreiras com estruturas de dados, visualização, aplicações geoespaciais e utilizações inovadoras de ferramentas abertas. Ao mesmo tempo, eles são pioneiros de novas formas de publicação acadêmica que combinam o tradicional estilo de impressão com ferramentas dinâmicas e interativas, o que permite a manipulação em tempo real de dados de pesquisa. Aplicando métodos quantitativos para disciplinas tradicionalmente qualitativas levou a novas categorias de pesquisa, como por exemplo, leitura distante e macroanálise – o estudo de grandes corpus de textos em oposição a uma leitura profunda de alguns textos. Estas áreas emergentes podem levar a novos desenvolvimentos na educação, mas estruturas organizacionais eficazes terão de ser implementadas para apoiar as novidades.

Mudança do posicionamento de alunos como consumidores para os alunos como criadores
A mudança de foco está ocorrendo na prática pedagógica em escolas de todo o mundo na medida em que estudantes estão aprendendo, fazendo e criando através de uma ampla variedade de disciplinas ao invés do simples e tradicional conteúdo do currículo escolar. A criatividade, como ilustrado pelo crescimento de vídeos feitos por usuários, comunidades maker e os projetos de financiamento coletivo dos últimos anos estão aumentando cada vez mais os meios da aprendizagem prática.

Mudança para abordagens de aprendizagem profunda
Há uma nova ênfase na sala de aula em abordagens de aprendizagem profunda, definida pela Alliance for Excellent Education como a entrega de conteúdo para os alunos de forma inovadora que lhes permitam aprender e, em seguida, aplicar o que aprenderam. Aprendizagem baseada em projetos, aprendizagem baseada em problemas, aprendizagem investigativa, aprendizagem baseada em desafios e métodos semelhantes promovem experiências de aprendizagem mais ativa, tanto dentro como fora da sala de aula. Tecnologias, como tablets e smartphones estão sendo aceitos mais facilmente nas escolas, portanto os educadores estão utilizando estas ferramentas, que os alunos já utilizam, para interligar o currículo escolar com práticas da vida real. Estas abordagens ativas de aprendizagem são mais centradas no aluno, permitindo que eles assumam o controle de como se envolvem com um assunto e podendo debater e implementar soluções para problemas locais e globais. A esperança é que se os alunos podem relacionar o material estudado com as suas próprias vidas, eles vão ficar mais animados para aprender e depreender com maior produndidade o assunto.